Batmirim, o adorador do Batman

Conheci Batmirim (Bat-mite, no original) pelo desenho animado do Batman de 1977, mas eu era muito novo e não me lembro de muita coisa. De qualquer forma, a série animada de 1977 não podia utilizar personagens como o Espantalho e o Charada (que aparece apenas na abertura), porque eles estavam reservados para outro estúdio de TV, que exibia os Superamigos. Nessa época, Batman era exibido por dois canais de TVs concorrentes simultaneamente. Essa situação, de não poder utilizar seus próprios personagens, é parecida com o que ocorre hoje com a Marvel no cinema. Sobre o desenho animado vocês podem ler mais informações aqui  e aqui. Veja abaixo a abertura do desenho:

Nos quadrinhos, a primeira vez que vi o Batmirim, por incrível que pareça, foi em A Piada Mortal, de Alan Moore e Brian Bolland, publicada pela primeira vez no Brasil em setembro de 1988. Batmirim aparece em uma foto com a toda a Batfamília; Batman, Robin, Batwoman, Bat-girl, Batcão, Alfred, Comissário Gordon e Batmirim.

Foto da Bat-Família que aparece em A Piada Motal. Vemos em pé Batman, Bat-mirim, Alfred, Comissário Gordon e Batwoman. Sentados Robin e Bat-Girl, e o Bat-cão deitado.
Foto da Batfamília que aparece em A Piada Motal. Vemos em pé Batman, Batmirim, Alfred, Comissário Gordon e Batwoman. Sentados Robin e Bat-Girl, e o Batcão deitado.

 

Lembro da minha confusão quando li A Piada Mortal, e da minha confusão maior com esse retrato da Batfamília, afinal, eu já conhecia Crise nas Infinitas Terras e o seu efeito no Multiverso DC, assim, como aquela foto  se encaixava na cronologia pós-crise? Batwoman, Bat-girl, Batcão e Batmirim não haviam sido apagados da existência? Para ser sincero, naquela época, com catorze anos, eu não fazia ideia quem eram as duas heroínas da foto. Outro detalhe sobre a minha primeira leitura de A Piada Mortal, foi a minha nítida impressão de que o Batman matava o Coringa no final, impressão que Grant Morrison também teve, mas vamos deixar isso para um outro post.

Bat-mirim
Batmirim

Durante o período em que acompanhei quadrinhos do Batman (leio desde 1987), tive muitas idas e vindas, mas Batmirim nunca mais apareceu, só o via em revistas da EBAL que eu encontrava em sebos, nas quais era chamado de Duende Morcego.

Voltei a ter contato com o Batmirim no jogo para Wii, Batman: The Brave and the Bold – The Videogame, em que o personagem aparece dando dicas sobre o jogo enquanto a ação transcorre. Batmirim torna-se um personagem jogável se o jogador tiver as versões para Nintendo DS e para o Wii.

Capa do jogo "Batman: The Brave and the Bold – The Videogame".
Capa do jogo “Batman: The Brave and the Bold – The Videogame”.

Batmirim  é um personagem que, ao mesmo tempo que me deixa aliviado por não ser mais utilizado nas HQs do Batman, me faz sentir uma certa nostalgia. Contraditório, sim, seres humanos o são.

Nostalgia
Nostalgia

Personagem regular das revistas Batman, Detective Comics, e World’s Finest Comics, entre 1959 e 1964, Batmirim apareceu pela primeira vez na revista Detective Comics #267, em maio de 1959, na história intitulada Batman Meets BatMite, escrita por Bill Finger, com desenhos de Sheldon Moldoff e arte-final de Charles Paris.

Capa de Detective Comics, #267, de 1959
Capa de Detective Comics #267, de 1959

Na sua primeira história, Batmirim é um elfo da Quinta Dimensão, que possui adoração pelo Batman e vem à Terra para “ajudar” Batman e Robin em suas lutas contra o crime. O baixinho aparece na Batcaverna vestindo uma fantasia, sim, neste caso uma fantasia, que lembrava o uniforme do Batman, mas com um raio preto no peito ao invés de um morcego. Com poderes de modificar objetos, teletransporte, ficar invisível e voar, Batmirim faz sua estreia atrapalhando Batman em sua missão.

 

tec267b

Quadrinhos de Detective Comics, #267
Quadros de Detective Comics #267

A Dupla Dinâmica fica surpresa e relutante com o “apoio” do Batmirim e sua intenção de ajudá-los. O receio do Batman mostraria-se válido, pois nos confrontos futuros dos quais Batmirim participaria, o gênio da Quinta Dimensão sempre utilizava sua magia para tornar as lutas mais “excitantes”. Em seu primeiro confronto ao lado da Dupla Dinâmica, Batmirim altera uma ponte de ferro até transformá-la em um disco gigante de ferro que flutuava no ar. Mesmo sendo bem sucedido na prisão dos bandidos, Batman precisa explicar-se sobre as peripécias de seu novo aliado.

 

dc_267_001

 

dc_267_002

Apesar das tentativas do Batman de tentar afastar o Batmirim das investigações e perseguição dos criminosos, o alienígena dimensional continuava metendo o bedelho nas atividades da Dupla Dinâmica, até que suas intervenções permitiram que alguns vilões escapassem da alçada dos heróis.

batmite-1

Arrependido, Batmirim desculpa-se com o Homem Morcego, que neste momento o instrui sobre como prender os fugitivos, que são capturados logo em seguida. Batmirim decide voltar para a sua dimensão, mas promete voltar.

 

tec_267_004

Vocês já devem ter percebido que Batmirim e Senhor Mxyzptlk são parecidos. Na verdade, ambos são originários do planeta Zrfff, localizado na Quinta Dimensão, com leis da natureza diferentes das de nosso universo. Os habitantes do planeta Zrfff são seres travessos, que gostam de pregar peças e podem manipular as propriedades físicas dos objetos, animados e inanimados, da Terceira Dimensão, valendo-se de uma superciência, que no planeta Terra é percebida como magia. Como as leis físicas são mais complexas por lá, os residentes da Terceira Dimensão possuem dificuldades de interpretar informações da Quinta dimensão,  o que seria um dos motivos pelo qual sempre que um ente originário da Quinta Dimensão aparece na Terceira, ele se parece com um elfo ou um “gênio da lâmpada”.

Capa de World's Finests, #113
Capa de World’s Finests Comics #113, 1960, a primeira história com a união de Batmirim e Senhor Mxyzptlk

Em 1964 os títulos do Batman foram reformulados sob a direção do editor Julius Schwartz.  A ideia era retornar ao clima das histórias iniciais do Homem Morcego, mais detetivescas e menos camp. Com este objetivo, os membros da Batfamilia desaparecem das histórias, dentre eles Batmirim.

Apesar da reformulação imposta por Julius Schwartz, em World’s Finest Comics, #152 e #169, publicadas em 1965 e 1967 respectivamente, Batmirim reaparece formando dupla com o Senhor Mxyzptlk. Essas histórias foram editadas por Mort Weisinger (o criador do Aquaman), provavelmente o responsável pela aparição.

 

Capa de World's Finest Comics, #152
Capa de World’s Finest Comics #152

 

Capa de World's Finest Comics, #169
Capa de World’s Finest Comics #169

Ainda houve mais uma aparição de Batmirim antes de Crise nas Infinitas Terra. Foi em Detective Comics #482, 1979, na história Bat-Mite’s New York Adventure, na qual Batmirim visita os escritórios da DC Comics e insiste que os editores da DC Comics deem a ele um título da linha do Batman. Esta história causou vários protestos de leitores que queriam a volta do Batmirim. Os protestos foram realizados em frente ao Tishman Building, onde ficavam os escritórios da DC Comics em Nova Iorque, curiosamente no #666 da Quinta Avenida. Os editores à época disseram que a publicação desta última história do Batmirim já era uma resposta aos pedidos de fãs pela volta do personagem.

 

Capa de Deective Comics, #482
Capa de Detective Comics #482

 

Edifício Tishman Building
O Tishman Building

 

Detalhe do número do prédio
Detalhe do número do prédio

 

Além de Batmirim e Senhor Mxyzptlk, são originários da Quinta Dimensão Yz, o Relâmpago, que apareceu nas histórias da Sociedade da Justiça da América, Mister Genie que apareceu em histórias da Wonder Tot (uma versão bebê da Mulher-Maravilha de um outro universo), Quisp, um gênio que aparecia nas histórias do Aquaman, e Miss Gzptlsnz, a namorada do Senhor Mxyzptlk.

Yz, o Relâmpago
Yz, o Relâmpago

 

Qwsp
Quisp

 

Mister Genie
Mister Genie

 

Miss Gzptlsnz em uma história da revista de Jimmy Olsen
Miss Gzptlsnz em uma história da revista Jimmy Olsen #65

Apesar de eu concordar com a intenção de Julius Schwartz, acredito que Batmirim poderia ter continuado a fazer parte do Universo DC, assim como o Senhor Mxyzptlk continuou e nem por isso tornou as histórias do Superman mais bobas ou infantis, apenas mais engraçadas.

Num futuro Arquivo do Batman, falaremos das aparições de Batmirim nas histórias pós-Crise nas Infinitas Terra. Até lá!

Juliano Souza Ribeiro

Agente secreto durante o dia e aspirante a herói mascarado durante a noite, ainda encontra tempo para ser o arqueólogo da Mansão Wayne.

  • Mano Juliano, vim lhe dar os parabéns por seu trabalho e convidá-lo a acessar minha página de divulgação, eis o endereço → http://www.facebook.com/saviochristidivulgacao/.

    Bom, abraços e até mais então!

  • Grande e ótimo artigo, meus parabéns, mas tenho algumas correções e lhe peço para que, por favor, não se ofenda com elas, já que apenas desejo ajudar:

    1) O nome da Batgirl não tem hífen.

    2) O Senhor Mxyzpltk e Bat-Mirim não são elfos, são duendes: você mesmo escaneou uma página de uma história onde o próprio Bat-Mirim diz bem assim: “I’m not a elf!” (“Eu não sou elfo!”).

    3) Ao contrário do Senhor Mxyzptlk, Bat-Mirim não tem o objetivo de infernizar seu herói com pegadinhas, mas sim de ajudá-lo a combater o crime e vê-lo em ação, só que ele só atrapalha.

    4) O Bat-Mirim foi removido da cronologia oficial da DC Comics após os eventos de Crise nas Infinitas Terras, mas ele retornou durante os eventos de Batman: Descanse em Paz.

    Quanto ao mais, artigo com bastantes detalhes e informações, meus parabéns mais uma vez, de verdade!

    • Pbrigado, Sávio!
      Apenas um complemento com relação ao hífem em “Bat-girl”, o artigo se refere a Betty Kane, a primeira a usar o nome, que era sim hifenizado. Deixaram de hifenizar a partir do momento que Barbara Gordon assumiu o manto 🙂

      • De nada e me desculpe pela ignorância prévia a respeito, amigo Carlos!

        Só mais uma dúvida agora: como é que a Batgirl (Bárbara Gordon) foi para as histórias em quadrinhos após o sucesso da série de live-action se ela surgiu nas histórias em quadrinhos em 1967 e na série de live-action em 1968?

        • A Barbara tem uma origem meio confusa, mas resumindo ela foi encomendada para a série mas fez a estreia nos quadrinhos 😉

          • Compreendo e concordo, meu camarada!

            Escute só, você sabia que existe uma história da série World’s Finest Comics na qual o Senhor Mxyzptlk e Bat-Mirim se passam pela Supergirl e Batgirl enquanto o Superman e Batman tentam consertar um pneu furado do Batmóvel?

            Queria muito ler essa história, sabe me dizer se ela já foi publicada aqui no Brasil e em qual edição ou volume de qual gibi ou romance gráfico?

            Eu também ainda não li nenhuma história do Senhor Mxyzptlk e Bat-Mirim juntos, mas pretendo comprar a minissérie Superman & Batman – Gerações e a história completa Super-Homem e Batman: Os Piores do Mundo!

          • Não sei se essa história ja saiu por aqui, talvez pela Ebal, mas nao posso afirmar.
            Quanto aos materiais que pretende ler, recomendo ambos! “Os Piores do Mundo” é uma das coisas mais engraçadas que a DC já publicou!

          • Beleza, rapaz!

            Escute só, será que posso lhe adicionar a minha rede de amigos do Facebook?

          • Claro 🙂

          • Não achei seu nome por lá: procure por Sávio Christi e me adicione e contate.

          • Sávio Christi

            A propósito: como é que a Filmation e Hanna-Barbara detinham os direitos de adaptação e Batman ao mesmo tempo e nenhuma das duas podia usar coadjuvantes, figurantes e antagonistas já utilizados pela outra?

            Não entendo como é que ambas detinham os direitos da Dupla Dinâmica e ambas não podiam ter os deter os direitos do Coringa e Charada ao mesmo tempo: se os dois heróis principais podiam estar em ambas as animações (As Novas Aventuras de Batman e Superamigos), por que o mesmo não valia para o restante do panteão?

            E você sabe me dizer também se ambas as séries de animação estão na mesma continuidade (a Wikipédia em inglês menciona que é questão de interpretação pessoal de cada um)?

            As técnicas de animação eram as mesmas, o estilo dos roteiros com um Batman muito mais bem-humorado e brincalhão do que muito mais sério e sistemático era o mesmo, os dois Batmen são baseados na encarnação oficial e original de Adam West, as duas séries são da mesma época e as duas também dão lições de moral ao final de cada episódio!

    • Ah, e o Bat-Mirim já havia aparecido umas poucas vezes no pós crise antes de Descanse em Paz. Futuramente faremos um artigo sobre isso 🙂
      Mais uma vez, obrigado pelos comentários!

      • De nada e igualmente, amigo Carlos!

        Também não sei se você sabe, mas ele era chamado de Duende-Morcego na época de BAL, já foi chamado de Bat-Mirim com hífen nas animações e é chamado de Batmirim tudo junto nas histórias em quadrinhos das décadas mais recentes.

      • A propósito: como é que a Filmation e Hanna-Barbara detinham os direitos de adaptação e Batman ao mesmo tempo e nenhuma das duas podia usar coadjuvantes, figurantes e antagonistas já utilizados pela outra?
        Não entendo como é que ambas detinham os direitos da Dupla Dinâmica e ambas não podiam ter os deter os direitos do Coringa e Charada ao mesmo tempo: se os dois heróis principais podiam estar em ambas as animações (As Novas Aventuras de Batman e Superamigos), por que o mesmo não valia para o restante do panteão?
        E você sabe me dizer também se ambas as séries de animação estão na mesma continuidade (a Wikipédia em inglês menciona que é questão de interpretação pessoal de cada um)?
        As técnicas de animação eram as mesmas, o estilo dos roteiros com um Batman muito mais bem-humorado e brincalhão do que muito mais sério e sistemático era o mesmo, os dois Batmen são baseados na encarnação oficial e original de Adam West, as duas séries são da mesma época e as duas também dão lições de moral ao final de cada episódio!

  • A propósito: como é que a Filmation e Hanna-Barbara detinham os direitos de adaptação e Batman ao mesmo tempo e nenhuma das duas podia usar coadjuvantes, figurantes e antagonistas já utilizados pela outra?

    Não entendo como é que ambas detinham os direitos da Dupla Dinâmica e ambas não podiam ter os deter os direitos do Coringa e Charada ao mesmo tempo: se os dois heróis principais podiam estar em ambas as animações (As Novas Aventuras de Batman e Superamigos), por que o mesmo não valia para o restante do panteão?

    E você sabe me dizer também se ambas as séries de animação estão na mesma continuidade (a Wikipédia em inglês menciona que é questão de interpretação pessoal de cada um)?

    As técnicas de animação eram as mesmas, o estilo dos roteiros com um Batman muito mais bem-humorado e brincalhão do que muito mais sério e sistemático era o mesmo, os dois Batmen são baseados na encarnação oficial e original de Adam West, as duas séries são da mesma época e as duas também dão lições de moral ao final de cada episódio!