Podcast #13 – Grandes sagas: Terra de Ninguem

Boa noite, Gotham!

…depois que o solo se partiu e os edifícios tombaram, a nação abandonou Gotham City. A partir de então, apenas os valentes, os saqueadores e os insanos permaneceram no lugar que passou a ser chamado de Terra de Ninguém.
Hoje, Carlos Vázquez, André Pansera, Leonardo Vicente e Vinicius Schiavini juntam-se ao convidado Felipe Morcelli (Terra Zero) para conversar sobre esse período sombrio e cativante da mitologia do homem-morcego.
Dê o play e junte-se ao papo sobre a saga que abriu o século para as revistas do Batman!

Links mencionados:
Uniforme “Thor” do Azrael: http://www.mansaowayne.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Azsuit3_4.jpg
Mapa de Gotham: http://batmangothamcity.net/wp-content/uploads/2012/04/gotham-city1.jpg
Blog Fala Animal: www.fala-animal.blogspot.com.br
Programa HQ&Cia: https://www.facebook.com/programahqcia
Kombo Podscasts: www.dimensaonerd.com.br
Isso Canal: https://www.youtube.com/user/IssoCanal
Terra Zero: www.terrazero.com.br

Leonardo Vicente

Nunca sequer visitou Gotham City, muito menos morou numa caverna, nem mesmo treinou com os maiores mestres marciais do planeta. No comando do site Mundo Comics e escrevendo para a revista Mundo dos Super-Heróis, se deu conta de sua triste maior diferença quando comparado com Bruce Wayne: não tem a mesma fortuna que ele!

  • AzBats

    Olá. Boa noite. Primeiro, obrigado pelo podcast (terem entregue um pod com a sequência de Terremoto foi uma idéia muito feliz da parte de vocês).
    E realmente o comentário da parte de vocês quanto a “Terra de Ninguém” servir como uma “passagem de bastão editorial e criativo” é muito acertada. Nomes como Doug Moench, Alan Grant, Chuck Dixon cederam espaço a Greg Rucka (que desde então me chamou a atenção), Devin Grayson e um autor, que eu saiba o convidado Felipe Morcelli nutre admiração por ter ao longo de vários anos escrever G.I.Joe, Larry Hama não permaneceu muito tempo no título principal do Batman (teriam ocorrido divergências com recém empossado editor Bob Schreck).
    Lembro da editora Abril Jovem ter obtido sucesso (numa era pré internet) ao fazer mistério quanto a identidade da nova Batgirl, gostei na época da introdução da personagem Cassandra Cain e de seu pai David Cain (e toda citação ao “assassino original bíblico Cain”), somando a Henry Ducard a tradição de mentores de moral questionável de Bruce Wayne.
    Como torno a dizer, dessa fase me parece mais memoráveis as histórias escritas por Greg Rucka e desenhadas pelo Sérgio Cariello, seja o capítulo com o Batman “interpretando o Bruce Wayne pimpão” com os risinhos da Barbara Gordon ao fundo numa conversa Lucius Fox, ou a história que ele nocauteia a Mercy Graves (coisa que fez também na animação “Batman & Superman – Os Melhores do Mundo) num dos ultimatos ao Lex Luthor (momento que fazem referência ao vídeo indiscreto no salão oval da Casa Branca que serviria de chantagem ao presidente).
    Novamente, obrigado por produzirem dois podcasts sobre duas sagas/eventos que me são tão nostálgicas. Que continuem produzindo mais podcasts como esse.
    P.S: Ao citarem exemplos de cidades que foram desvinculadas do território a qual pertenciam, só consegui me lembrar de “Fuga de Nova York” clássico do cinema oitentista dirigido por John Carpenter, que se não me engano, o próprio Denny O’Neil admitiu a influência da obra em “Terra de Ninguém”. Boa noite.

  • Juliano Souza Ribeiro

    Muito bom o podcast! Vocês estão de parabéns! Eu não li tudo na época, faculdade… e o programa cobriu muitas lacunas que eu tinha sobre a fase. Mais uma vez parabéns e vou ouvir os outros episódios!

  • Pingback: Mansão Wayne #15 – Dra. Harleen Quinzel, a Arlequina()